Mercado em alta ou em baixa – quem tem o portfólio certo, não precisa se preocupar.

A volatilidade, amada
por uns e odiada por outros está de volta, deixando alguns investidores extremamente
preocupados.

 

Entramos no que
parece ser um túnel interminável de ansiedade e apreensão.

 

O que ainda está
por vir? Ninguém sabe ao certo. Baseado no cenário político eleitoral local,
tudo indica que estamos apenas dando os primeiros passos em direção ao mar de
instabilidade.

 

Mas os mercados
são previsivelmente imprevisíveis.

É claro que os
especialistas têm muitas teorias, além de ideias sobre o que os investidores devem
fazer. Afinal, é o trabalho deles.

 

Porém, a menos que você seja um day trader, as
intrigas de curto prazo dos mercados realmente não devem ter muito efeito sobre
o que você faz com a sua “poupança para a aposentadoria”

 

Se a sua carteira estiver configurada para se
adequar ao momento da sua vida e a quem você é como investidor, você pode
evitar o transtorno e se deligar dos noticiários (é o que eu faço).

 

Como se desligar com a certeza que não terá
grandes surpresas?  Como fazer  para que você
e sua carteira resistam a esse tsunami ?

 

1. Enfrente a histeria com criatividade

A diversificação é fundamental, e isso significa
alocar seu dinheiro em muitas classes e categorias de ativos – não apenas dois,
três ou até cinco. – Sobreposição é um dos problemas mais comuns que
encontramos.

Leia também!  Estratégias com Opções - Trava de Alta ou Financiamento

 

Pense além de ações e títulos de renda fixa.

Considere outras opções, fundos  imobiliários commodities, moedas e
principalmente PRATIQUE O HEDGING.

 

Ativos não correlacionados podem estabilizar seu portfólio.

À medida que as condições do mercado mudam, um aumento em uma
classe de ativos pode ajudar a compensar uma queda em outra.

 

2. Conheça sua tolerância ao risco

O setor financeiro tende a rotular os investidores como
conservadores, moderados ou agressivos.

 

Embora aprendamos ao longo dos anos que esses termos
significam coisas diferentes para pessoas diferentes – incluindo os
profissionais financeiros que os utilizam.

 

Você é quem deve identificar onde está seu nível de conforto

– como você se sente em relação a determinados resultados aleatórios – e
determinar como seu portfólio deve se adequar à sua ao risco.

 

Você alguma vez simulou como seu portfólio atual ou proposto se
manteria em certos cenários – como os crashes de 2000 ou 2008.

 

São os tempos difíceis que mudam vidas. Saber o que esperar
pode impedi-lo de tomar decisões emocionais quando os mercados (e os
especialistas) começarem a ficar assustadores.

 

3 – Tenha um propósito para seus investimentos

Leia também!  Índice Beta- O que é e como calcular

Diversas vezes, os investidores gastam tempo e dinheiro com
um produto ou estratégia “enlatados”- desses que surgem em sua caixa de e-mail
todos os dias – mas não têm ideia de como funcionam.

 

Não sabem se estes produtos são orientados para renda ou
crescimento, ou se fazem parte de um plano de longo ou curto prazo.

É apenas algo que um conselheiro, um mago do mercado, um spammer com a alcunha de “Research”
– ou cunhado ou colega – disse a eles que deveriam fazer.

 

Contudo, é importante informar-se sobre o que você tem em seu
portfólio e porque você o tem.

 

Especialmente se você estiver próximo ou “na aposentadoria”,
você deve ficar longe da ideia de que é tudo sobre taxa de retorno e virar sua
atenção para proteger seu ninho de ovos
para o longo prazo.

 

Se o seu portfólio é projetado e implementado especificamente
para você – e está em concordância com sua situação financeira, suas
necessidades e sua personalidade – você deve ser capaz de superar os altos e
baixos do mercado sem deixar que as emoções tirem o melhor de você.

 

Todo investimento traz algum risco, mas você pode melhorar
suas chances de sucesso e seu nível de conforto diário –

Leia também!  Como calcular o beta usando o Excel ou o Google Planilhas

 

Basta um plano sólido e individualizado.

(Visited 3 times, 1 visits today)

Camila Costa

Economista, administradora de empresas, especializada em gestão financeira e derivativos. Fundadora do Portal Educacional Distribuindo Valor. Trader Autonomia e investidora na Bolsa de valores de São Paulo - B3.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *